Unitel Festa da Música – Hino (feat. Preto Show, Cef, Miguel Buila, Scró Que Cuia, Ary, Titica, Paulelson, Eva Rap Diva, 100 Boss & Nagrelha)

Preto Show - Hino Unitel Festa da Música background
Unitel Festa da Música – Hino (feat. Preto Show, Cef, Miguel Buila, Scró Que Cuia, Ary, Titica, Paulelson, Eva Rap Diva, 100 Boss & Nagrelha)
Preto Show
Hino Unitel Festa da Música
54 Downloads download icon

ouvir musica

previous
play_pause
next
speaker
0:00
0:00

Baixar Musica MP3 download icon

  • Author: Preto Show (feat. CEF Tanzy, Scró Que Cuia, Ary, Titica, Paulelson, Eva Rapdiva, Nagrelha Dos Lambas)
  • Titulo: Hino Unitel Festa da Música
  • Categoria:
  • Ano: 2022
Preto Show - Hino Unitel Festa da Música Download mp3

Hino Unitel Festa da Música Preto Show youtube video

youtube image

biografia de Preto Show

Preto Show é ex-membro dos The Groove e é uma das maiores estrelas da música angolana. Sua história de vida é considerada inspiradora, já que foi abandonado pela mãe quando era criança, sendo cuidado pela avó. Acompanhe a história desse supertalentoso.

 

Infância

Apesar do sucesso que conseguiu alcançar, Preto Show guarda um passado turbulento e difícil, por ter sido abandonado pela mãe, que imigrou para Portugal, deixando para trás dois filhos, e chegando ao ponto de dizer ao padrasto dos seus filhos, que eles eram seus irmãos.

 

O músico revelou que enfrentou muitas dificuldades (dormiu em arrecadações de prédios e numa igreja), juntamente com a sua falecida avó, que o criou depois de ter sido abandonado pela mãe, por isso, tudo o que é hoje foi graças à sua avó, que é para si, a sua verdadeira mãe:

“Passei por momentos muito difíceis, devo tudo o que sou à minha falecida avó, ela sim, foi a minha verdadeira mãe. Sempre me ensinou a caminhar bem e sozinho, fiz até uma tatuagem dela no meu corpo. Cheguei a dormir nas arrecadações dos prédios, eu e a minha avó vivíamos numa igreja”.

 

Dificuldades

Passou por muita dificuldades que nem imagina até que, para sobreviverem com a sua avó, chegaram a vender pregos e panos na praça.

 

“…Para o nosso sustento, tivemos que vender prego e panos na praça’’. Disse o cantor em uma entrevista ao programa Viva à Tarde, da ZAP.

Sua mãe Ana Songo lhe abandonou enquanto ainda criança. “Ela foi para Portugal e praticamente me esqueceu, chegou até a mentir ao meu padrasto que não tinha filhos, disse que eu e o meu irmão éramos irmãos mais novos dela.

Importa salientar que, Preto Show de uma filha (menina) de nome Akeanna.

biografia de CEF Tanzy

Carlos Fernando Tanzi, tem como nome de palco, Cef Tanzy. É um artista de nacionalidade angolana, nato no Tsotso, Damba na província do Uíge, Angola, onde viveu aproximadamente 4 meses até mudar-se para Luanda com a sua família.

 

É filho de pais bazombo, Kumbisa Fernando Tanzi e de Elisa Kumona Tana, Seu sub-grupo étnico localizada ao norte de Angola.

 

Cef Tanzy cresceu em Luanda, na zona suburbana da Mabor, que liga os municípios de Cazenga e Cacuaco.

 

Começou a cantar por influência dos seus irmãos mais velhos Tony Laf e A’mosi Just a Label conhecido por alguns como Jack Nkanga. Enquanto crescia sua verdadeira paixão sempre foi futebol, que praticou até um determinado período, até a música ganhar maior expressão em sua vida. Carlito como era tratado por familiares e amigos, com o tempo acabou por transformar-se num artista de sucesso musical.

 

Seu processo de descoberta de identidade artística, começou com a tentativa de fazer Rap/Hip Hop, e que posteriormente o género Soul R&B começou a se auto desenvolver em si.

 

Dado ao meio por onde se situava, ele diz ter tido poucas possibilidades de ver-se singrar no mundo da música.

 

Em 2003 teve a sua primeira experiência como cantor participando no concurso de imitação, estrelas aos palco, um projecto que contou com a produção e realização da Lac. apoiado pelo seu irmão mais velho A’mosi Just a Label. Concurso este onde chegou a estar entre os 10 finalistas. Após essa experiência, ele nunca mais parou.

 

Em 2008 Cef Tanzy conhece o Vovó do grupo Alegefixos, sendo que o Cef Tanzy na altura era um músico que só podia se ouvir ao vivo e acústico. Vovó oferece-se em ajudá-lo a gravar suas músicas em seu estúdio situado no Bairro do Marçal.

 

Seu irmão mais velho A’mosi Just a Label, sempre serviu-lhe de guia, e de chave mestre em quase tudo, no entanto, como em 2009, o irmão vivia na baixa de Luanda, Cef Tanzy quis viver com ele, este achou que era muito arriscado para os dois viverem juntos e focados apenas com a música, que não era ainda uma fonte de rendimento na altura. Cef Tanzy comandado por instinto, decidiu então ir passar uns tempos com um amigo no Zamba II, com quem esteve durante 3 semanas. Era tudo uma estratégia de criação de oportunidades, socializar-se com as pessoas inseridas no showbiz. Após esse tempo, Cef Tanzy mudou-se para o bairro do Rocha Pinto. A’mosi Just a Label, apresenta o Cef Tanzy ao Vui Vui, como uma proposta com o qual ele podia trabalhar. Nessa altura o membro integrante do grupo Kalibrados, para além de ser músico, era também um empresário bem sucedido no cenário musical em Angola. Vui vui, passa então a trabalhar com ele sob produção do Detergente, um jovem produtor e talentoso, com quem Cef Tanzy trabalhou por muito tempo até o ciclo fechar.

 

Em 2010, Cef Tanzy conhece o empresário Mi Mosquito, este acreditou e investiu no artista, levando-lhe a gravar com os Wonderboyz. Surge então dai os singles Pintor de Rua, Amor é prático, Campeã. Temas esses que fizeram parte do projecto Milionário Family, e também do álbum Botão de Rosa. Álbum este que foi lançado em 2013 e que tem a LS Produções como distribuidora. Antes mesmo do álbum ter sido gravado, por uma questão de diferenciação ideológica Cef Tanzy e Mi Mosquito rescindiram o contrato que ambos tinham em conjunto.

 

Cef Tanzy, persistiu com o seus sonhos até concretizar e tornar o seu álbum numa realidade e depois ganhar uma notoriedade inquestionável a nível do mercado Lusófono.

 

Cef Tanzy, também é Ceo da C8 Music Group (C8MG), Empresa criada em 2011 que actua na área de descoberta de novos talentos, dando-lhes a oportunidade de poderem expressar-se através da música.

 

Primeiro Álbum

Cef Tanzy no Grande Show Cartel de amor no Cine Atlantico
Botão Rosa, é o primeiro álbum do Cef Tanzy, lançado em 2013. Teve sucessos de singles como, Pintor de Rua, Amor é Prático, Botão de Rosa e Digital. O álbum rendeu-lhe mais de nove mil cópias vendidas.

 

Em 2016 fez parte do projecto Legado da lenda, um projecto da B26, em parceria com o Big Nelo, Lil Saint, Young Double. Desta obra destacam-se os sucessos como Atrofiar, Estátua ninguém se mexe e Tá doce.

 

Cef Tanzy, é cantor, produtor musical de música Trap Zouk, R&B, Soul Music e Afro Pop, compositor, letrista e actor.

 

Em 2012 criou a vertente Trap Zouk, em parceria com o Smash, seu co-produtor, com o qual gravou dois álbuns originais, Botão de Rosas e Cartel D’amor. Trap Zouk, é uma vertente de Zouk, com uma métrica inovadora dentro daquele género. Com essa peculiaridade sonora, Cef Tanzy influenciou o mercado nos lugares por onde a sua música tem expressão, sendo que outros cantores jovens identificaram-se com as waves.

 

Nomeações

Top Rádio Luanda

  • 2011: Artista revelação | Vencedor
  • 2012: Melhor cantor de R&B | Vencedor
  • 2014: Melhor cantor de R&B | Vencedor
  • 2016: Melhor zouk do ano | Vencedo

 

Angola Music Awards

  • 2013: Melhor cantor de R&B | Vencedor
  • 2017: Melhor voz masculina | Vencedor
  • 2017: Melhor melhor música moderna | Vencedor

 

Discografia

Álbuns

  • Botão de rosa – 2013
  • Legado da lenda – 2016
  • Cartel D”Amor – 2017
  • The Coach – 2021

biografia de Ary

Ariovalda Eulália Gabriel (Lubango, 10 de agosto de 1986), mais conhecida pelo nome artístico Ary, é uma cantora, compositora, dançarina, coreógrafa e arranjadora vocal angolana nascida e criada em Lubango, na província da Huíla. Alcançou a fama depois de ser contratada pelo produtor e cantor angolano Heavy C. Ary é uma cantora muito respeitada, sendo varias vezes indicada para o prémio “Divas Angola”. Ary é conhecida pelo seu estilo extravagante, espontâneo e bastante energético. É uma das figuras femininas mais sonantes no music hall angolano e a cantora mais popular, sendo bastante acarinhada e ovacionada pelo público, que a nomeou carinhosamente como “Diva do Povo”. A cantora e intérprete opta pelos estilos musical Kizomba e Semba, embora tenha grande paixão pelo R&B Soul.

 

Biografia

Infância e adolescência

Ary nasceu no Lubango, província da Huíla. Filha de Mário José Gabriel e Laurinda Helena.[8] Aos cinco anos de idade, emigrou para Luanda por onde frequentou o ensino medio no curso de Gestão de Sistemas Informáticos no Instituto Médio Industrial de Luanda (IMIL). Mais tarde ingressou a Ingressou para Universidade Independente de Angola “(UnIA)” para se formar em Ciências da Comunicação.

Ary é a mais velha de seis irmãs. Ary passou a viver em Luanda, no bairro da Maianga, mas teve que mudar várias vezes para outros bairros de Luanda. Ary recorda que quando era criança criava um jacaré em sua casa. Laurinda Helena, mãe da Ary, sempre a apoiou na carreira. O pai inicialmente tinha sido menos entusiasta em relação à opção da filha, mas acabou por apoiá-la.

 

Carreira

Início

Ary começou a dar os primeiros passos na música quando era criança. Usava o rádio de casa para cantar para os seus familiares, imitando músicas de cantoras angolanas e americanas, como a Lauryn Hill, sua maior influência. Na Igreja o seu talento também era notório. Desde então, começou a receber incentivo dos seus familiares e amigos a participar num concurso musical. Já em Luanda, em 2002, Ary foi concorrer para o concurso “Chuvas das Estrelas”, que mais tarde viria chamar-se “Estrelas Ao Palco”, apresentado pelos jornalistas Jorge Antunes e Patrícia Pacheco. Após o teste Ary foi seleccionada como uma das dez concorrentes para fase final. Na terceira fase do concurso Ary foi interpretar a música da sua cantora favorita, Lauryn Hill, de quem é uma grande fã. Após esta actuação Ary foi eliminada, para seu desepero e de toda família. A partir daquela momento triste Ary decidiu abandonar a música.

Mas tudo (re)começou graças a um amigo, que fez questão de apresentar Ary ao produtor e cantor angolano Heavy C. Ary foi submetida a um teste, no qual cantou a mesma música das Estrelas ao Palco. No final, a questão que Heavy C fez, foi: “Onde andavas esse tempo todo?”Ary teve, a certeza que estava em boas mãos e foi a partir desse momento que julgou ter chegado a altura de iniciar uma carreira profissional como cantora.

 

Estilo musical

Ary é famosa pelo seu estilo camaleônico e performance única no palco; é um dos nomes mais respeitados no mundo da música angolana. Ary opta por gêneros musicais como kizomba, semba e soul music.

Ary é considerada uma das três vozes femininas mais admiradas de Angola (a par de Yola Araújo e Yola Semedo). É a segunda cantora mais premiada do país, estando apenas atrás de Yola Semedo. Para já, considera-se uma menina prendada e boa dona de casa, “apesar de não saber, nem gostar de engomar, arruma muito bem a casa, lava perfeitamente, cozinha de tudo um pouco. Só não engoma porque não sabe, nem gosta de o fazer”. Passa muito tempo a ver filmes, a ler , a ouvir música e adora brincar com às maquilhagens.

 

2007: Sem Substituições

A venda do primeiro álbum da Ary foi em dezembro de 2007. Foi um sucesso de vendas que se esgotaram logo na primeira fase. Nessa altura a música “Como Te Sentes Tu?”, do álbum, causou polémica. As mulheres adoram esta música, mas quem realmente escreveu a letra foi o músico angolano Anselmo Ralph. Das músicas gravadas na África do Sul mantiveram-se apenas as faixas “Como Te Sentes Tu?” e “Deixa Respirar”. “Foi necessário mudar as restantes músicas e adequá-las ao estilo que o povo queria ouvir e dançar”. As músicas “Carta de Amor” (a que mais a marcou), “Meu Grande Amor”, “Saint Toys”, “Back the Baby” e “Doce Mel”, foram gravadas em Luanda. Em Paris gravou-se a música “Sexi Baby” com o francês Nicol. “Amar não é Assim” e “Casamento Só Pra Quê” foram gravadas pelo próprio Heavy C, na Holanda.

2013: Crescida mas ao Meu Jeito

O segundo álbum da cantora “Crescida mas ao meu jeito” foi lançado no segundo semestre de 2013. Ary colocou este título ao álbum porque não só aumentou a idade, mas também cresceu profissionalmente, tem outra visão sobre a música e sobre a vida. O disco conta com 12 faixas e é um disco 99% acústico. Foi totalmente gravado em Portugal e masterizado em Paris. Tem composições de Kenny Buss, Dr. Eugénio e Heavy C. Heavy C também foi o produtor das suas músicas.

 

Discografia

Álbuns de estúdio

  • 2007: Sem Substituições
  • 2013: Crescida Mas Ao Meu Jeito
  • 2016: 10

biografia de Titica

Teca Miguel Garcia, conhecida por seu nome artístico Titica (Luanda, 26 de junho de 1987), é uma cantora, compositora, dançarina e ativista angolana que se tornou ícone do estilo kuduro em 2011, a partir do lançamento do seu primeiro trabalho discográfico, intitulado Chão…, do qual a principal música de trabalho (Chão) se tornou em poucos meses a música mais executada da história de tal gênero musical nas rádios de Angola. No mesmo ano, Titica recebeu o prêmio de artista Revelação do Kuduro, entregue pela Rádio Escola. Com o sucesso do seu primeiro trabalho como cantora, em 2012 Titica foi indica à categoria ‘Melhor Artista Feminina da África Austral’ do KORA All Africa Music Awards, a principal premiação de artistas da música no continente africano.

A partir de então, em um movimento de internacionalização de sua carreira, apresentou-se em diversos países, dentre eles: Portugal, África do Sul, Brasil, Alemanha, Estados Unidos da América, França. O auge desse processo se deu a partir de 2017, quando foi convidada e se apresentou no Rock in Rio ao lado da banda brasileira BaianaSystem; e também em 2018, quando se juntou à artista Brasileira Pabllo Vittar para gravar o remix de uma das músicas de seu mais recente álbum de estúdio Pra Quê Julgar?.

Titica é reconhecida internacionalmente como uma das principais referências na luta pelos direitos das pessoas LGBT no continente africano. Em outubro de 2013, a artista foi escolhida Embaixadora Nacional da Boa Vontade pela UNAIDS – programa da Organização das Nações Unidas organizado para combater a epidemia de AIDS. De acordo com a UNAIDS, “Titica tem sido afetada pelo estigma e pela discriminação por ser uma pessoa transexual, e pode transformar sua experiência em uma mensagem positiva de mudança de atitudes em Angola”. Em 2015, foi homenageada no 7th Annual Chevrolet Feather Awards com a distinção African Feather of the Year, pela contribuição que tem prestado à comunidade LGBT através de seu trabalho e de suas ações.

Ao longo dos últimos anos, fez diversas incursões por outros gêneros musicais, como Afrohouse kizomba e semba, pelas quais foi indicada – e em certas ocasiões consagrada vencedora, às principais premiações dedicadas à música angolana: Top Rádio Luanda, Angola Music Awards e Troféu Moda Luanda.

Os comentários estão fechados.